Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Maria Lúcia Lepecki (1940- 2011)



A escritora e ensaísta brasileira Maria Lúcia Lepecki morreu no último dia 24 de julho aos 71 anos em Lisboa, vítima de câncer. Maria Lúcia Lepecki nasceu em Axará, no estado de Minas Gerais, no Brasil, mas estava radicada há várias décadas em Portugal, sendo uma profunda conhecedora da literatura portuguesa. Brasileira de nascimento e portuguesa por casamento, Maria Lúcia Lepecki estudou em Paris, foi bolsista da Fundação Calouste Gulbenkian e professora catedrática na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Fui aluno de Maria Lúcia Lepecki, na Faculdade de Letras da UFMG, em 1970, antes de se transferir para a Universidade de Lisboa. Apresentou-me, então, a Boris Shnaiderman, através do qual publiquei minha primeira resenha, no extinto Suplemento literário do Estadão, em 1971. Deixa muitas saudades.

Os seus principais livros: Eça na ambiguidade. Lisboa: Jornal do Fundão, 1974; Autran Dourado: uma leitura mítica. São Paulo: Quíron, 1976 (Prêmio Nacional da Crítica, Brasília, 1977); Ideologia e imaginário, ensaio sobre José Cardoso Pires. Lisboa: Moraes, 1978; Romantismo e realismo em Júlio Dinis. Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1980; Meridianos do texto. Lisboa: Assírio e Alvim, 1979; Sobreimpressões. Ensaios de literatura portuguesa e africana. Lisboa: Caminho, 1988.

Francisco José Viegas, romancista e Secretário de Estado de Cultura de Portugal, lamentou sua morte, referindo que "foi uma grande professora, capaz de motivar várias gerações para a leitura de literatura de língua portuguesa, além de ter escrito alguns ensaios marcantes sobre o romance contemporâneo e sobre literatura comparada".

Nenhum comentário:

Postar um comentário