Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Temporada caipira


Passei uma semana longe da civilização, do trânsito de Belo Horizonte, de contas para pagar, de livros. O feriado emendou a semana inteira. Vida rústica. O lugar, um sítio entre Baldim e Santana do Riacho, propriedade do sogro, na área da Serra do Cipó. Um mergulho na vida rústica do cerrado, com literais mergulhos em poços e rios da região, um lugar meio paradisíaco, no meio das veredas de Guimarães Rosa, muito sol, água pura, campos de mato, pedregulho e carrapato. Comida regional: frango ao molho pardo, jurubeba, peixe, costela de boi, angu de fubá de moinho de água, feijão novo. Sossego, canto de passarinho, cerveja em boteco, alguma cachaça de alambique conhecido. Dez por cento de estrada de terra, asfalto novo. Tudo temperado com música sertaneja, ao vivo, com a típica toada caipira.
Para matar a sede de leitura que, infelizmente, não desgruda, nas duas vezes que bateu: uma seleção de poemas de Walmir Ayala, da Global editora. Voos ligeiros e de jeito arrebatado, surpreendentes por sinal.



Nenhum comentário:

Postar um comentário