Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Desmontando as teses

Não sei se alguém já se atreveu a contar: o que antecede a escrita de um copião de tese acadêmica. Acompanhar o percurso desorientado, as anotações apressadas, as impressões desguarnecidas que poderiam fornecer mais tarde uma pista. 

                                     (Imagem: escrevendo o futuro. org.)

À frente, um livro inteiro, páginas inteiras coalhadas de riscos, chaves, colchetes, anotações, marcações de página onde a mesma ideia retorna, ref. bibliográfica. A marginália interpretativa, o comentário ingênuo destinado ao lixo. Riscos indicativos, na maioria incongruentes, de um pensamento fugaz, que não chegou a se consolidar, riscos que o leitor cansado (ou enfadado) faz à margem de um poema, uma descrição. Por vezes, um desenho grosseiro e tosco.
Registro as hesitações e tensões que antecedem a hora do lobo. Os inúmeros recheios, notas, reflexões, suposição que vamos alinhando, em geral, entusiasmados no fulgor provisório. As mutações e sobressaltos, em gradação só justificável no instante da colheita. Notas escritas a lápis alternam-se a outras, a tinta permanente, em cores variadas, vermelho, azul, preto, verde. Excertos de leituras variadas superpõem-se, Levinas, Barthes, Deleuze, Foucault, Todorov, Blanchot, Benveniste, Eduardo Prado Coelho, Fernando Pessoa. Ocioso frisar a importância da citação, nos moldes éticos e científicos.

Um livro de mais de 600 páginas abriga muito espaço para glosas – sérias, idiotas, explicativas, de sinonímia, ou simplesmente hilárias. Como o autor investigado era um poeta contemporâneo, um rol de palavras reiteradas: mãos, mágoas, corpo, rosto, riscos, folha, vento, sol, casa, ruas, versos, Um consolo, calado digo a mim mesmo: se tivesse aproveitado metade das sugestões, talvez a versão definitiva teria sido mais abrangente. O que poderia ter sido e não foi. O que não se reporta ao orientador. Os resíduos de um intricado jogo de xadrez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário